Poesias

GOSTO QUANDO AS PALAVRAS ( Marcel Rei Coronato)

Gosto quando as palavras

Significam

Sem querer significar

.

Quando de repente

Sem a precisão recorrente

Ela vem intermitente

Sem precisar explicar

.

É sempre uma audácia

Uma flor de Acácia

Um belo Manacá!

.

Nasce no seio das pedras

As nossas já ruas amarelas

E são frutos do pomar

.

Gosto da poesia pomar

Mas não aquele

Que se espera plantar

.

Gosto de colher sem semear

Gosto de semear sem colher

Gosto é de olhar

.

Nada entra

E nada sai

A flor fica lá

Fico eu cá

.

Não mexo

Na natureza o índio ensinou

A pedir licença para a mata

Antes de entrar

.

E com os pés descalços

E sandálias de dedo

Vou compondo o meu tema

Sem apegos, sem apelos.

.

Algum dia eu não chego lá.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s